Princial \ Psicografias \ SAUDAÇÃO A PEDRO DE ALCÂNTARA pelo espírito Mota Maia (01-12-2017)
SAUDAÇÃO A PEDRO DE ALCÂNTARA pelo espírito Mota Maia (01-12-2017) PDF Imprimir E-mail
Ter, 01 de Maio de 2018 23:48

SAUDAÇÃO A PEDRO DE ALCÂNTARA pelo espírito Mota Maia (01-12-2017)

Queridos irmãos da Casa de Pedro de Alcântara,

No dia 2 de dezembro de 1825, encarnava em nossa Pátria, na cidade do Rio de Janeiro, o nosso querido imperador Pedro II. Antes de sua encarnação, na Dimensão Espiritual, Jesus, nosso Mestre Maior, governador do nosso Planeta, convidou o Espírito Longinus, para que ele assumisse a direção do nosso País, como Imperador. Vamos imaginar a responsabilidade que caía sobre Longinus, mas este convite somente poderia ser dirigido a alguém capaz e escolhido para exercer esta imensa e grandiosa tarefa.

Longinus, como sabemos através da leitura de Brasil Coração do Mundo Pátria do Evangelho, sentindo a imensa responsabilidade, viu-se envolvido por Jesus, que confiava a ele, somente a ele, esta oportunidade neste país tão jovem; conduzi-lo aos caminhos da modernidade, aos caminhos do bem e que se cumprisse assim a missão desta pátria como a Pátria do Evangelho. E Longinus encarnava então como Pedro de Alcântara, trazendo esta responsabilidade sobre seus ombros. E sempre procurou cumprir este mandato exercendo-o com muita humildade, dignidade e, amor ao próximo.

Durante seu reinado, o país atravessou momentos delicados, mas que através da paciência, entendimento, compreensão aos problemas surgidos, Pedro de Alcântara pode superar e trazer paz para o nosso querido país.

Durante seu governo, este país passou por um grande avanço cultural, muitas realizações, onde a agricultura e a indústria tiveram grande incentivo e impulso.

Para termos ideia das realizações:

Na agricultura, as culturas de cana de açúcar, cacau e café tiveram grande impulso. A indústria brasileira livre para produzir aumentou consideravelmente suas produções.

As redes de esgoto e água deram seus primeiros passos.

A iluminação de óleo de peixe ou a querosene foram substituídos pela iluminação a gás.

Houve o reflorestamento da Floresta da Tijuca.

Linhas telegráficas e telefonia foram instaladas.

Os transportes, rodovias, ferrovias e hidrovias tiveram grande impulso também.

Foi fundado o Museu Nacional, com a aquisição de várias peças - adquiridas em todo o mundo.

Pedro de Alcântara viajou para várias partes do mundo, conhecendo os avanços científicos e tecnológicos e procurando assim trazê-los para o Brasil.

Conheceu muitas personalidades ilustres, de quem além da amizade procurava se ilustrar e aprender, conhecer.

Travou amizades com Luís Pasteur, Camille Flamarion, Júlio Verne, Victor Hugo, Mariet (Diretor e fundador do Museu Egípcio do Cairo), Jean Charcot e muitos outros.

Jean Charcot, cujas teorias sobre o hipnotismo e histeria fascinara o mundo, e muito fascinou o Imperador. Inclusive Charcot foi o seu médico clínico, até seu derradeiro momento nesta existência.

Enfrentou forte oposição política, chacotas, piadas da oposição republicana, além lutar contra a escravidão, e teve de enfrentar também uma guerra - a do Paraguai, que muito o abalou e entristeceu.

Com seu total apoio e consentimento, a 13/05/1888 a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea, abolindo a escravatura de nosso País.

Este grande Espírito quase ao final de sua existência foi exilado e pobre, abandonado pelos amigos, desencarnou em Paris no dia 5 de Dezembro de 1891. Aquele menino que ficou órfão de mãe com 1 ano de idade e com 9 anos ficou órfão de pai, marcou com dignidade, respeito ao ser humano, com uma democracia difícil para aqueles tempos. Marcou com seu amor profundo pelo seu querido País e deixou escrito nas páginas da História sua passagem, iluminada, gloriosa por este território tão amado, a sua história.

Estive com ele nos seus últimos instantes de vida e tive a honra de colocar sob sua cabeça um travesseiro recheado com a terra do Brasil, cumprindo o seu último desejo: descansar sua cabeça sobre esta terra que ele tanto amou e soube honrar em toda sua vida.

Morreu então nosso Imperador.

Pobre, esquecido, abandonado pelos homens, mas recebido por aquele que o incumbiu desta missão, e conduzido a lugares de refazimento para este Espírito que soube dignificar como ninguém seu cargo que foi depositado em suas mãos por Jesus, o Cristo de Deus.

Nós te saudamos. Querido amigo, Imperador, Mentor, e ao aproximar destas datas tão próximas, que marcam sua reentrada no planeta Terra e sua volta ao Plano Espiritual, nós da Casa de Pedro de Alcântara, muitos honrados por fazer parte de sua falange dos obreiros do Bem, agradecemos a oportunidade de trabalho, a sua amizade, e pelo acolhimento aqui em sua casa, a associação Espírita Obreiros do Bem.

Obrigado por tudo, querido Mentor e Mestre.

Dos amigos sempre prontos a acompanha-lo no trabalho de amor e caridade, sendo porta voz de todos,

Mota Maia (01/12-2017)

 
Associação Espírita Obreiros do Bem, Powered by Joomla! and designed by SiteGround web hosting