Princial \ Psicografias \ ACREDITEM: - NUNCA ESTAMOS DESAMPARADOS 20/07/2018 - Pai Velho Antonio de Aruanda
ACREDITEM: - NUNCA ESTAMOS DESAMPARADOS 20/07/2018 - Pai Velho Antonio de Aruanda PDF Imprimir E-mail
Seg, 03 de Setembro de 2018 22:34

ACREDITEM: - NUNCA ESTAMOS DESAMPARADOS 20/07/2018

Filhos queridos do meu coração

Desde tempos imemoriais, as verdades contidas na Doutrina Espírita vêm sendo divulgadas, propagadas, espalhadas para toda a humanidade.

Civilizações antigas, algumas já desparecidas, tiveram contatos com essas verdades; algumas as utilizaram para engrandecimento espiritual de seus povos; outras civilizações essas verdades ficaram restritas a círculo de iniciados, onde por orgulho, egoísmo ou por quererem utilizar em proveito próprio, não difundiram de maneira correta entre o seu próprio povo.

Vários e vários conquistadores deixaram marcadas as suas passagens por esse planeta, com muito derramamento de sangue, civilizações foram dizimadas, povos extintos, cidades arrasadas.

O que é dito desses conquistadores, desses imperadores, desses generais?

A história só relata esses fatos que hoje trazem para nós, uma história de barbárie, de conflitos, de guerras e revoluções, mas não podemos esquecer aquele que há dois mil anos atrás revolucionou todos os conceitos, todas as ideias do nosso planeta, Jesus de Nazareth, o Cristo Planetário, trazendo para nós as orientações, os esclarecimentos, as mensagens que perduram não só no nosso planeta até hoje, mas atingem outras regiões, outros orbes, outras dimensões, levando a palavra de amor, de caridade, de paz e de bem para todos esses habitantes.

Em 1857, com o lançamento do Livro dos Espíritos, novas luzes se acenderam para a nossa humanidade. Kardec, seguindo a orientação dos Espíritos Superiores, nos trouxe o maior tratado de filosofia que nós podíamos imaginar: o Livro dos Espíritos.

Mota Maia já se referiu na brilhante mensagem ao Livro dos Espíritos, que não vou me deter aqui, mas nos trouxe luzes, esperanças e perspectivas de dias melhores para a humanidade e para nós mesmos. E a Codificação se fez presente, nos alertando, consolando, confortando, abrindo para nós, novos horizontes de entendimentos, de conhecimento e de aprendizado.

Aqui hoje, se falou de psicofonia, vocês estudaram, estão estudando com afinco, com determinação, e isto faz com que nós nos sintamos tão felizes na nossa dimensão espiritual que habitamos, porque podemos compartilhar com vocês estes momentos de estudo e de aprendizado.

O número de estudantes desencarnados que aqui acorrem é imenso, e essas palavras aqui proferidas, aqui ditas, esses capítulos aqui estudados, chegam até eles como um bálsamo, nesse momento que eles se reúnem aqui em grupos para que tenham acesso também a esses estudos.

A nossa instituição está em vários setores avançando, se renovando, se transformando, e isso exige que os colaboradores, os participantes desta casa também se transformem, se modifiquem para melhor, para que juntos possamos caminhar rumo a realizações, rumo a acontecimentos que vão trazer para todos nós momentos de muita alegria e felicidade.

Somos agradecidos pelos esforços, pelo bom combate empreendido, pela disposição, e lembrando sempre que isto que está sendo realizado aqui atende a várias e várias situações, a vários e vários espíritos, porque visa à melhoria não só das organizações que estão sendo e já está sendo criada, mas também a cada um de vocês como indivíduo.

O momento que passa o nosso planeta, e todos sabemos, é o momento de transformação, e essa transformação com certeza é para melhor.

Jesus, o nosso Cristo Planetário, em nenhum momento abandona os seus irmãos. Ele que há dois mil anos aqui esteve estendendo a mão, trazendo as maiores mensagens de perdão e de amor que a humanidade já recebeu, não seria compatível com o seu Espírito magnânimo, caridoso, elevado, amoroso, abandonar os seus irmãos nesses momentos porque o nosso planeta está passando.

As verdades contidas no Evangelho foram sempre trazidas em todas as épocas, em todas as civilizações, mas nós podemos fazer uma analogia com a Parábola do Semeador, que as sementes são lançadas, mas tão poucos terrenos férteis as recolhem, absorvem e as deixam germinar nos seus corações.

Vocês já imaginaram quantos milhões de habitantes, ou melhor, bilhões de habitantes passaram pelo nosso planeta, quantos milhares encarnam e desencarnam diariamente?

Já imaginaram os grupos de socorro, de ajuda, que estão sendo constituídos, formados para recolher esses irmãos?

O plano espiritual, os seus abnegados trabalhadores, nunca descansou nem nunca descansará. Colônias espirituais a cada dia surgem para abrigar esses milhares de irmãos que são tão precocemente às vezes retirados da sua vida material, muitos desencarnam em desequilíbrio. Então, todos nós precisamos do apoio, do auxílio de médiuns, de espíritos abnegados desses dois planos de existência.

O trabalho aqui efetuado é um dos trabalhos que estão sendo realizados, de atendimento, de estudo e de esclarecimento. E fiquem seguros disso, nenhum irmão encarnado e desencarnado se encontra abandonado. Todos são auxiliados, alguns percebem esse auxílio outros ainda não, mas para todos os nossos irmãos chegará a hora do despertar.

Nesses momentos, todos nós mais precisamos de braços estendidos, de ombros amigos, da união de companheiros, dessa união de verdadeiros amigos para que a gente possa passar por esses momentos de expiação e prova a que todos nós estamos sendo submetidos, ou vocês imaginam que por estarmos na outra dimensão não nos afligimos, não nos preocupamos com as ocorrências, com as situações, com os resgates que ocorrem no nosso querido planeta? As mãos estão sempre prontas para auxiliar, para afagar, para conduzir, para abraçar porque quantos irmãos ainda nossos que compartilharam conosco várias e várias encarnações ainda se encontram perdidos nos vales de lágrimas esperando o momento de partilhar, de compartilhar conosco mais algumas experiências encarnatórias!

Os queridos amigos dirigentes do nosso planeta, dos países, de outras regiões, constantemente se encontram unidos para que possam com essa união procurar trazer para todos nós um ambiente de paz, um ambiente de tranquilidade, um ambiente de muita amizade: mas, uma vez mais ressaltamos que o verdadeiro caminho para a evolução nossa, evolução da humanidade é seguirmos confiantes as recomendações de Jesus de Nazareth quando Ele nos dizia que era o caminho, a verdade e a vida, e ninguém chega ao Pai se não for através Dele, desses ensinamentos que Ele nos legou; do amor, do perdão incondicional e da proposta firme de cada um de nós, de fazermos a nossa Reforma Íntima.

Queridos irmãos, mais uma vez envolvidos pela Ave Maria, vamos erguer os nossos pensamentos, as nossas preces para Maria de Nazareth, a mãe de nosso Mestre Maior, e neste momento, ao deixarmos essa música sublime penetrar nos nossos corações, vamos pedir a ela, a nossa mãe, que nos envolva, nos proteja, que nós possamos ser mais dóceis, mais suaves, mais humildes, mais pacíficos, mas isso depende do esforço de cada um de nós, é o esforço individual, e conforme está contido na nossa doutrina, se nós nos modificarmos, se cada um de nós se modificar, nós modificaremos a sociedade, a população de um país e consequentemente a humanidade.

Nunca perca as esperanças, mantenham a fé nos seus corações, pois os tempos novos já surgiram no horizonte, horizonte de luz, de amor, de paz e de bem.

Filhos queridos do meu coração,

Um abraço carinhoso daquele que vos ama,

Pai Velho Antonio de Aruanda

 
Associação Espírita Obreiros do Bem, Powered by Joomla! and designed by SiteGround web hosting