Princial \ Psicografias \ Cooperação com o plano espiritual no trabalho do bem - Pai Velho Antonio de Aruanda 06/12/2019
Cooperação com o plano espiritual no trabalho do bem - Pai Velho Antonio de Aruanda 06/12/2019 PDF Imprimir E-mail
Dom, 12 de Abril de 2020 14:54

Psicofonia de Pai Velho Antonio de Aruanda – 06/12/2019

Filhos queridos do meu coração,

Aqui estamos na noite de hoje com uma grande falange de espíritos protetores desta Instituição e aqueles irmãos denominados de Pais Velhos, ou pretos velhos, que nos auxiliam tanto no tratamento, nas curas, na condução e orientação de espíritos desorientados, que aqui vêm em busca desse socorro, desse auxílio, que é uma das finalidades de uma Casa Espírita.

O estudo, a caridade, o servir, o auxiliar, o instruir, fazem parte de uma instituição que se diz Centro Espírita.

Vocês não fazem ideia de quantos irmãos aqui vêm em busca desse socorro e desse auxílio espiritual, encarnados e desencarnados, e como a nossa Casa está se preparando para uma série de atividades, onde virão irmãos de outras e outras religiões, e de outras e outras Instituições. procuraremos fazer o melhor de cada um de nós para recepcioná-los.

Nós teremos várias atividades, onde irmãos necessitados aqui virão, uns por livre e espontânea vontade, outros conduzidos pelos espíritos que aqui trabalham.

Vocês sabem, não preciso repetir dos encontros que aqui teremos, encontros de aprendizado, encontros de harmonização, encontros de instrução, encontros de confraternização, de amor, de carinho, de união.

Desde a terça-feira passada, quando se falou sobre Pedro de Alcântara, muitos espíritos foram aqui trazidos para que ouvissem e entrassem nesta ambiência que a Casa proporciona, essa ambiência de paz, de alegria, de felicidade, de amor, e nessas reuniões, nós nos despimos dos nossos problemas, daquilo que nos aflige no dia-a-dia.

Percebam a psicosfera que vos cerca, percebam a ambiência. E o ambiente que está envolvendo todos vocês é de muita ternura, de muita paz; é isso que vocês têm de distribuir para todos aqueles que aqui vierem, em busca realmente desta paz tão procurada, às vezes tão difícil de ser alcançada. Se nós vivemos num mundo de conflitos, não sejamos nós os geradores do conflito, não sejamos nós aqueles que proporcionam o escândalo, não sejamos nós aqueles que tumultuam, que desarmonizam, mas que nós procuremos sim primeiro nos harmonizar, ter a nossa paz interior, porque a partir deste momento, nós podemos distribuir harmonia, serenidade e paz.

Muitos espíritos que aqui estiveram na terça-feira não conheciam ou não tiveram nenhum conhecimento em época nenhuma da elevação espiritual do nosso querido mentor Pedro de Alcântara, e no momento que eles estavam envolvidos naquele estudo, amigos espirituais protetores da casa estavam fazendo um trabalho na mente e no espírito desses espíritos para que eles se tranquilizassem, se descristalizassem dos seus problemas; que eles saíssem daquela mente obstruída, ou daquela mente envolvida no mal e que procurassem através da prece e do tratamento fluidoterápico se tornassem mais receptíveis à nossa assistência, porque procuramos através desses momentos, através das palestras, dos estudos, da música, fazer com que essas mentes saiam daquele estado de cristalização que se encontram - nas dificuldades, nos problemas, nos males - e possam se tornar receptíveis às influências dos amigos espirituais dessa Casa.

Por isso filhos queridos do meu coração, mantenham-se sempre vigilantes, atentos, em oração, porque a prece nos conduz a dimensões superiores, a patamares onde habitam Espíritos mais elevados e a prece feita de coração, ela atinge os seus objetivos, mas não os objetivos materiais que muitas vezes nós pedimos, mas aqueles objetivos que nos trazem resignação, paz de espírito, ligação com o Alto e nos abre o nosso espírito para que nós recebamos as intuições que o plano espiritual superior direciona a cada um de nós.

Sabemos das preocupações de vocês, seguimos os passos de vocês, sabemos das dificuldades que a Associação Espírita Obreiros do Bem passa, mas atentem à palavra: ¨Tudo Passa! Tudo Passa!”

Mantenham-se solidários, em harmonia, em vigilância, em prece, cumprindo cada um seu dever, por menor que pareça aos vossos olhos, mas todo trabalho útil, todo trabalho no bem é digno. Todo trabalho com amor tem a sua recompensa.

Então queridos irmãos, filhos queridos do meu coração, ao aproximar a data em que na Terra se comemora o nascimento de Jesus, façamos dos nossos corações, aqueles corações, mais amorosos, que se abrem para ajudar ao próximo, aquele coração que reconcilia, que tolera , que perdoa o inimigo, que não culpa, mas que procura dentro das orientações cristãs espíritas, desenvolver um trabalho de amor, um trabalho abrangente, mas não abrangente somente material, mas um trabalho abrangente espiritual.

Abram seus espíritos, envolvam com suas irradiações os irmãos necessitados.

A prece, a oração neste instante é essencial. Acreditem na capacidade de vocês de auxiliar o próximo, porque um afago, um carinho, uma palavra docemente empregada, faz com que pessoas em situações complicadas se sintam acariciadas, se sintam envolvidas, encorajadas, com sua fé aumentada e sua esperança renovada.

Queridos filhos do meu coração, este é o momento de muita reflexão para todos nós, é o momento de passagem de ano. Normalmente, a gente se acostuma a deixar as coisas antigas e adquirir coisas novas; por que não aproveitamos e trocamos os velhos hábitos tão arraigados, por hábitos novos?

Lembremos das virtudes, lembremos da capacidade nossa de nos transformarmos para melhor, não se esqueçam da Reforma Íntima, do mergulho dentro de si, da meditação, do auto-conhecimento.

Relembrem as palavra do Mestre, vocês fizeram muito bem quando escolheram a releitura do Evangelho Segundo o Espiritismo, porque ali estudando em conjunto, vocês terão a oportunidade de mergulhar e entender melhor os ensinamentos do nosso Mestre Maior.

E assim, envolvidos por Pedro de Alcântara, nosso querido mentor, e por todos os trabalhadores desta casa, e lembrando as palavras de Jesus, às vezes muitos de nós esperamos as recompensas, as facilidades aqui na Terra, mas as recompensas virão, com certeza, para aqueles trabalhadores que souberam honrar o trabalho digno e edificante.

Reflitam, meus queridos filhos, no que nós fizemos durante o ano de 2019.

Lembrem de Santo Agostinho, a questão 919-A do O L.E., quando ele discorre para nós a melhor ou as melhores maneiras de nos conhecermos para nos reformarmos para melhor.

Mergulhem nas parábolas, ensinamentos de Jesus- porque hoje nós temos condições de bem entendê-las, porque há dois mil e tantos anos poderia ser difícil porque nós não tínhamos esses conhecimentos que temos hoje, porque vocês estudam, porque vocês se instruem - e façam do Evangelho de Jesus um livro de reflexão, de meditação. Procurem entender realmente as parábolas, o que Jesus quis dizer com elas, porque transcende os conhecimentos mais rasteiros. Precisa de uma explicação que vocês já podem dar, de um entendimento que vocês já podem entender, e assim, possuidores desses conhecimentos, não os detenham só com vocês; os distribuam, divulguem, propaguem, porque o que Jesus trouxe parra nós são os maiores ensinamentos que a humanidade já recebeu.

Quando Kardec na Codificação é envolvido pelo Espírito da Verdade, ali ele compreendeu a importância de sua missão e a importância da publicação dos Livros da Codificação, porque ele foi convidado, amparado, instruído, protegido pelo nosso mestre maior, Jesus.

Então queridos irmãos, façamos do nosso dia-a-dia dias de distribuição de felicidade, de alegria, distribuamos sorrisos, palavras gentis, braços que aconchegam, mãos que afagam.

Façamos deste Natal um Natal de muita paz, mas que todos os dias da nossa existência sejam um Natal para cada um de nós.

Não sejamos sempre amáveis, dóceis, amorosos, caridosos só no dia de Natal. Mas conforme já nos diziam: “-Todo Dia é Natal”! Então, com essa lembrança nos nossos corações, com essa proposta de renovação, com essa proposta de auxílio e de fazer de cada dia um natal, que nós sejamos muitos felizes e que todos nós tenhamos um Natal de muita alegria, um Natal de felicidade espiritual, que é mais importante, e abracem seus familiares. Façam de seus lares um local onde Jesus possa estar. Façam de seus lares aquele local que é o aconchego, um local de carinho, um local de compreensão, um local de muito amor, porque o lar é um ninho de amor.

Fiquem em paz, filhos queridos do meu coração.

Com abraços de todos os irmãos que estão aqui nessa noite, uma noite gloriosa para todos nós, porque foi uma noite de muito estudo e de intenso trabalho.

Um forte abraço do Pai Velho Antonio de Aruanda.

Muita Paz!

 
Associação Espírita Obreiros do Bem, Powered by Joomla! and designed by SiteGround web hosting